22/11/2012

Elogios comedidos

Um pouco para contrabalançar as críticas (legítimas, obviamente) que têm sido feitas neste blogue, venho fazer um elogio divido em vários. Um elogio à forma como as coisas têm sido feitas até este momento, esta época.

Bem sei que ainda estamos em Novembro, e que os jogos decisivos ainda estão para vir. Mas há verdades absolutas que não deixarão de o ser se as coisas piorarem daqui para a frente, como acredito que não acontecerá. O que foi conseguido até agora já não pode ser apagado e na minha opinião é meritório e merece ser reconhecido.
Penso que está à vista de todos que as coisas estão a correr bem melhor do que aquilo que se previa no fecho do mercado (cenário que ainda piorou quando foi decidido o castigo do Luisão). Na minha opinião, isso deve-se ao facto de estarem a ser bem potenciados jogadores de quem não se esperava tanto.

Em relação a André Almeida penso que ainda é cedo para concluir se será jogador para vingar no Benfica (já duvidei mais admito), mas a verdade é que tem feito o que se lhe pede com competência e rigor. Não erra. E neste último jogo demonstrou estar mais confiante, o que o fez soltar-se e mostrar alguns pormenores interessantes. Até agora tem sido a opção credível que se dizia não haver para Maxi, ao mesmo tempo que também tem sido o trinco que faltava caso Matic estivesse indisponível. Já esteve presente em jogos de importância média-alta e cumpriu, e foi isso que me fez mudar positiva e moderadamente a minha opinião.

No que diz respeito a Melgarejo, penso que não havia dúvidas que poderia ser um bom extremo/avançado, ainda por cima nas mãos de Jorge Jesus. Como também penso que haviam bastantes dúvidas que pudesse ser o defesa esquerdo que precisávamos verdadeiramente. Até agora, tem demonstrado claras melhorias a nível defensivo, o que acaba por lhe dar confiança para subir no terreno com muita qualidade e repentismo. O jogo com o Celtic entusiasmou e mostrou que podemos estar aqui perante um caso sério. Mas calma, aqui sei que ainda é cedo para concluir o que quer que seja. Mas até agora pelo menos tem dado qualidade ao nosso lado esquerdo.

Luisinho para mim representa o que não tem havido nos plantéis do Benfica nos últimos anos. Jogadores com alguma qualidade, que "para aqui vão dando" e que lançados apenas um ou dois de cada vez não fazem baixar o nível da equipa. Tem muita garra e ataca bastante bem! Tem limitações defensivas que para mim não permitem lançá-los em jogos de maior importância. Mas fazem falta estes jogadores a um plantel, pois permitem não sobrecarregar os ditos titulares com demasiados minutos, para estes poderem responder a 100% nos jogos decisivos no fim da época.

A suspensão de Luisão acabou por ser bem colmatada por Jardel. Não sendo um central imperial (daqueles de bola no pé tipo Garay), nem um centralão daqueles que impõe o físico (tipo Luisão), tem um pouco dos dois. E na minha opinião ganhou a confiança que lhe faltava e acabou por ficar ligado a uma boa fase do Benfica, em que se sofreram poucos golos. Acho um jogador à imagem daquilo que escrevi sobre Luisinho. Útil ao plantel e competente, embora ache que possa dar para um ou outro jogo grande, sem abusar claro.

A maior evolução que presenciámos até agora foi sem dúvida alguma Matic. Estava tapado por Javi e, tendo participado em muitos jogos o ano passado, acabou por ter poucos minutos e pouca regularidade de jogo, o que abrandou a sua evolução. Hoje em dia, com minutos nas pernas e confiança, é na minha opinião um dos melhores e mais influentes jogadores do Benfica. Não sendo o mesmo tipo de jogador, falta-lhe ainda alguma dureza e capacidade defensiva, está a fazer esquecer Javi Garcia na perfeição!

Enzo Pérez foi outra muito boa revelação. Colmatou a saída de Witsel, que era a que mais me preocupava. Não tem para já a regularidade do belga, mas é um jogador fabuloso, com muita qualidade. Ainda lhe faltam alguma rotinas e mais pulmão para jogar naquela posição, falta-lhe chegar mais a frente a zonas de finalização, mas tem noções tácticas, tem passe, tem cobertura de bola, e acredito que quando estiver na plenitude da sua forma ainda nos dará umas alegrias.

Em relação ao “menino” André Gomes, ainda deu para ver pouco, mas o que vimos deu para perceber que em princípio podemos contar com ele, a espaços, ainda este ano. Em jogos em casa, de menor exigência (por exemplo na Taça da Liga), pode ser uma boa opção para rodar o meio campo.

Ola John chegou rotulado de craque, com muitas esperanças depositadas nas suas costas e nos 9 milhões de euros que parece ter custado aos cofres da Luz. Não entrou bem, demorou a adaptar-se, e a própria imprensa quis dar dimensão a coisas insignificantes e normais no futebol, decorrentes da adaptação de um jovem que acaba de chegar a uma equipa grande dum futebol mais exigente do que estava habituado. No entanto, Ola parece ter-se finalmente adaptado à realidade do Benfica e àquilo que lhe é exigido e tem deixado os adeptos com água na boa. Ainda será cedo para dizer que pode ter um papel de destaque esta época, mas já ajudou a equipa diversas vezes e tudo indica que a sua evolução continuará.

Por fim, no que diz respeito a jogadores, Lima. A primeira sensação que tive quando soube da sua vinda era que talvez fosse ficar um bocado tapado por Cardozo e Rodrigo, e que seria apenas o 3º avançado duma equipa que o ano passado tinha adotado bastantes vezes o 4-2-3-1. Achei que fosse jogar na Taça da Liga e tal, mas que o melhor da sua contratação tinha sido o enfraquecimento do Braga. No entanto, Lima tratou logo de me esclarecer ao que vinha na 1ª vez que tocou na bola com a camisola do Benfica, em Coimbra. Fez logo um golão...“à Lima”. E a esse golo seguiram-se vários, que acabaram por dar pontos ao Benfica e garantir-lhe a afirmação de águia ao peito e um papel de destaque no plantel.

Tudo isto que acima escrevi não faz com que deixe de querer pelo menos um jogador no mercado de Inverno. Não há dúvida que o plantel está mais fraco que o ano passado e acho urgente um médio que jogue a “6” e a “8”, que não se venha adaptar e que possa dar resposta imediata. Até agora temos cumprido mas para chegar perto do nível do ano passado falta essa peça no puzzle. E desta forma também se resguarda André Almeida e André Gomes de serem lançados em jogos “a doer” por não haver mais opções. Isso poderia prejudicar os “meninos”, e acho que eles ainda terão a ganhar com uma ou outra descida à equipa B (mais Gomes que Almeida).


E por falar em equipa B, chego ao fim dos elogios. Acho que é o projecto que está a ser mais bem conseguido entre todas as equipas B. Os resultados aparecem em campo, ao mesmo tempo que se lançam bastantes jovens e se dá ritmo a outros jogadores para estarem sempre a 100% para a equipa principal. A ligação parece-me estar a ser bem feita, Jorge Jesus e Luís Norton de Matos parecem estar em sintonia e neste aspecto tenho que dar os parabéns a toda a estrutura.

4 comentários:

Claudio Caniggia disse...

Manú concordo totalmente com a tua análise, mas no fim é que se vão fazer as contas, as quais, espero, irão confirmar todos os elogios que enumeras acima.

Agora, tudo isto não invalida que considere que a época foi mal planeada. Acho até que Jesus tem estado particularmente bem na gestão que tem feito e a potenciar jogadores.Quanto à equipa B, tem sido um projeto bem conseguido, mas tem funcionado muito mais à base da necessidade do que do correto planeamento da temporada.

Pedro Veloso disse...

Manu, concordo totalmente com a análise, e acho que - embora resultado de um plantel mal planeado, mas aí culpo sobretudo a direcção pelas vendas efetuadas quase no final do prazo - esta época está a permitir ver de facto o nível que o JJ tem como treinador (ainda que com os defeitos que todos conhecemos).Quer tacticamente, quer em termos de potencialização dos jogadores. Alguém duvida que com a maioria dos jogadores, com as limitações do plantel, estávamos agora a 10 pts do Porto? Recordo que foi o melhor início de campeonato em muitos anos, fantástico!

Dos destaques individuais que fazes, queria salientar o Enzo. Partiu com o handicap do que aconteceu o ano passado, mas este ano está a demonstrar toda a sua qualidade. E acho que é um tipo com mentalidade de campeão, daqueles que joga bem em jogos grandes.

Já agora, como não pude ver este último jogo, o André Almeida conseguiu subir e auxiliar o ataque, ou ficou só mais atrás?

Finalmente, Manu, desculpa não ter vindo ainda comentar antes mas não tenho tido muito tempo. Mas estou a gostar muito do blog, bom trabalho!

Manú disse...

Veloso finalmente dás um sinal de vida aqui na Hinchada! Obrigado!

O André Almeida neste último jogo já subiu mais sim, e teve muita bola no pé com calma e uma certa técnica. Nada do outro mundo, mas denota melhorias.

Pedro Veloso disse...

Lol parto-me a rir com o teu tom cuidadoso (ah e tal uma certa técnica) ao falar destes putos, tipo tentando controlar a excitação para depois não ter desilusões